"> Cirurgia ortognática: qual a indicação? – Familiari Odontologia

Atendimento : Segunda à sexta das 8h ao 12h das 13h30 às 18h
  Contato : 44 3524-1282 | 9845-5958

Cirurgia ortognática: qual a indicação?

A técnica é conhecida por mudar o rosto do paciente, alterando a posição do maxilar, queixo e gengiva

Queixos desproporcionais e gengivas muito aparentes são algumas das características de pacientes que necessitam de cirurgia ortognática. Conhecida por transformar o rosto das pessoas, famosos como a atriz Ingrid Guimarães já se sujeitaram à técnica, buscando não somente a melhora da estética, como também das funções mastigatórias e respiratórias.

O cirurgião dentista, Dr. Carlos Mecca, diretor clínico da Familiari Odontologia e Bem-Estar Bucal, explica que as pessoas que fazem a ortognática têm alterações de crescimento ósseo dos maxilares, que causam deformidade na face e alterações na mordida. “Essa deformidade pode ou não provocar dores na musculatura ou nas articulações e causar problemas na respiração, quando a pessoa respira pela boca. Além é claro de impedir uma mastigação adequada, visto que não se consegue morder direito”, ressalta.

Segundo o dentista, devido aos benefícios e às mudanças que provoca, a cirurgia é conhecida por mudar a vida de quem a faz. “Estamos falando de pessoas que passam anos sem morder direito, que sofrem para respirar adequadamente e que, muitas vezes, passam por situações constrangedoras por causa da aparência. Então, quando o paciente se submete à ortognática, não muda apenas a sua fisionomia e suas funções mastigatórias e respiratórias, muda a sua vida por completo, principalmente na questão do relacionamento com as pessoas”, afirma.

Função, estabilidade do resultado e melhora estética são os resultados da cirurgia ortognática, que deve ser feita após a puberdade, quando os maxilares já se desenvolveram completamente. O tratamento também inclui o uso de aparelho ortodôntico antes da cirurgia.